São Leopoldo recupera gradualmente sua economia

Boletim Socioeconômico aponto que Nível de Atividade cresceu 10,8% no 2º trimestre de 2021

06/10/2021

 

 

Após a vertiginosa queda de 15,2% no segundo trimestre do ano passado, São Leopoldo registrou crescimento de 10,8% no nível de atividade no mesmo período deste ano. O dado foi apresentado nesta quarta-feira, 6, durante a divulgação da 13ª edição do Boletim Socioeconômico Trimestral da ACIST-SL, que contou com a participação do presidente Siegfried Koelln, Marcelo Póvoas, diretor de Construção Civil da entidade e Juliano Maciel, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico (SEDETTEC).  “A base de cálculo deste crescimento é bem baixa, pois já no primeiro trimestre de 2020 estava em queda devido à pandemia e nos três meses seguintes ela se acentuou”, observa Marcelo Póvoas, que coordena o Boletim, destacando que a recuperação econômica é gradual devido ao forte impacto das perdas causadas no ano passado.

 

O indicador Nível de Atividade da ACIST-SL é elaborado a partir de três pilares. O primeiro é a Arrecadação Municipal (Impostos sobre a produção e a circulação), seguido pela Geração de emprego formal (Estoque do emprego formal e a diferença entre as taxas de variação do salário médio dos admitidos e dos desligados) e das Exportações.

 

 

 

A geração de empregos formais no município (saldo de admitidos menos desligados) também ficou positiva no período analisado. Foram abertas 839 vagas, ficando em segundo lugar em comparação com do demais municípios utilizados como comparação, perdendo para Novo Hamburgo, que registrou 1.187 vagas, enquanto Gravataí ficou com 646 vagas abertas e Canoas com 107 vagas. Até agosto deste ano, o estoque de empregos somou 56.995 trabalhadores com carteira assinada. “Sabemos o quanto a geração de emprego é fundamental para o crescimento da cidade e melhoria da qualidade de vida”, assinalou Póvoas.

 

Já no mercado internacional, São Leopoldo registrou faturamento de US$ 138,8 milhões no segundo trimestre, um crescimento de 24,8% em comparação com o mesmo período do ano passado. Armas e munições tiveram 35% de participação neste total, seguidas pelas máquinas não elétricas e ferramentas, com 30%. Estes segmentos lideraram os embarques, mostrando a importância da indústria de transformação na economia do município.

 

Os Estados Unidos são o principal mercado comprador, liderando o market share dos dez maiores destinos, com 44,1%. Em segundo lugar, ficou a China com 8,3%, seguida da Alemanha, com 7,1%. Este indicador aponta a relevância do mercado norte-americano como parceiro comercial.

 

Apesar da taxa de crescimento nas exportações ter sido menor em relação aos municípios comparados, com este desempenho, São Leopoldo participou com 42% no total exportado pelo Rio Grande do Sul no segundo trimestre deste ano, ficando em primeiro lugar na comparação com Gravataí (29%), Canoas (18,5%) e Novo Hamburgo (10,7%).

 

Os dados completos da 13ª edição do Boletim Socioeconômico Trimestral da ACIST-SL podem ser acessados neste link:

https://acistsl.com.br/boletim-socieconomico

E a apresentação pode ser conferida na página do Facebook:

https://www.facebook.com/acistsl/videos/563470721566528?notif_id=1633522030385003¬if_t=page_post_reaction&ref=notif

Ou no canal do YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=nTcQPUqZ01I

 

 Os dados do Boletim são coletados pela equipe do Núcleo de Excelência – Competitividade e Economia Internacional da Unisinos e conta com o patrocínio da Sicredi Pioneira, Oliva Construções, SKA e Frontec.

 

Fonte: Imprensa ACIST-SL | SENHA Comunicação Integrada

› Compartilhe

— LEIA TAMBÉM —

novidades

Receba nossas novidades. Cadastre-se gratuitamente.

Top