Exportação: Empresas têm apoio do PEIEX

Programa visa ajudar os empreendedores na inserção internacional

07/01/2022

 

 

 

 

Empresas que nunca exportaram têm várias dúvidas em relação à comercialização internacional, tais como:  Minha empresa está pronta para exportar? Qual é a melhor forma de fazer o produto chegar para determinado mercado? Como deve ser a negociação com o comprador internacional? Como formar o preço do produto para outro país? Exportar diretamente ou fazer uso de uma comercial exportadora? Para ajudar neste processo, o empresário pode contar com o suporte do PEIEX - Programa de Qualificação para a Exportação, iniciativa da Apex-Brasil que tem como missão preparar as empresas brasileiras para que possam iniciar o processo de exportação de seus produtos e serviços de forma planejada e segura. Para implantar o programa em regiões onde existam empresas com potencial exportador, a Agência busca instituições de excelência e realiza com elas convênios para instalação de Núcleos Operacionais do PEIEX. Os núcleos reúnem profissionais treinados para atendimento, seguindo a metodologia do PEIEX.

 

Os empresários da região do Vale do Sinos podem acessar o programa, que é gratuito, por meio do NÚCLEO PEIEX PORTO ALEGRE, que tem a Unisinos como instituição parceira. Para solicitar mais informações ou uma visita presencial, basta entrar em contato  pelos e-mail monitor.portoalegre@apexbrasil.com.br  ou djustin@edu.unisinos.br. Para participar do PEIEX, a empresa necessita apenas assinar um Termo de Adesão ao programa, por meio de assinatura eletrônica, que pode ser feito por Certificado Digital ou Documento com Foto. Ao final do atendimento, que dura aproximadamente 38 horas, a empresa recebe um plano de exportação para orientar a sua inserção internacional.

 

Contrapartida da empresa – O empreendedor deve estar disponível para verificações de procedimentos e para entrevistas com os técnicos extensionistas do PEIEX. Também é fundamental a participação nos encontros de capacitação para melhoria de gestão de processos e produtos. O trabalho do técnico extensionista não gera ônus financeiro para a empresa.

 

 

Fonte: Imprensa ACIST-SL | SENHA Comunicação Integrada

› Compartilhe

— LEIA TAMBÉM —

novidades

Receba nossas novidades. Cadastre-se gratuitamente.

Top