ACIST-SL participa de posse coletiva da FEDERASUL

Esta foi a segunda posse coletiva de presidentes de entidades conduzida pela FEDERASUL

11/05/2022

Valdir Mattos, Felipe Feldmann e Anderson Trautman Cardoso
Valdir Mattos, Felipe Feldmann e Anderson Trautman Cardoso

 

Uma noite de festa na FEDERASUL. Um grupo de 72 entidades filiadas tomou posse numa cerimônia que reuniu mais de 200 convidados no Salão Nobre do Palácio do Comércio, na terça-feira (10). A segunda posse coletiva de presidentes de entidades conduzida pela FEDERASUL reinaugura o calendário de eventos e atende um desejo antigo das entidades filiadas (a primeira ocorreu em 2018, mas a pandemia interrompeu o ciclo que acontecerá a cada dois anos).

 

As entidades que renovaram suas diretorias estão localizadas nas Alto Jacuí Botucaraí Central, Centro Sul, Fronteira Noroeste, Fronteira Oeste, Litoral, Médio Alto Uruguai, Metropolitana, Delta do Jacuí, Missões, Noroeste Colonial, Norte, Produção, Serra, Sul, Vale do Rio dos Sinos / Rio Cai, Vale do Rio Pardo / Jacuí Centro e Vale do Rio Taquari. Dos 72 dirigentes, empossados entre os meses de janeiro a maio deste ano, 20 são mulheres.

 

O presidente da ACIST-SL, Felipe Feldmann, destacou a importância do evento, pela oportunidade de reunir grande parte da força produtiva do Rio Grande do Sul. Ele recebeu a placa do presidente da Federasul, Anderson Trautman Cardoso e de Valdir Mattos, vice-presidente da Diretoria Regional dos Vales do Sinos e Caí. 

 

A cerimônia foi aberta com uma saudação do presidente da Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB), Alfredo Cotait Neto, que falou sobre a importância da representação empresarial na busca de soluções coletivas para os empreendedores. Também o governador Ranolfo Vieira Junior saudou os novos presidentes no encerramento do evento.

O vice-presidente de integração da FEDERASUL, Rodrigo Sousa Costa, destacou os efeitos da pandemia lembrando que “empreendedores se juntaram e estenderam a mão para as pessoas que perderam a renda e precisavam de comida, entregaram recursos para que os governos atendessem a saúde e deram suporte uns aos outros quando foram proibidos de trabalhar”. Disse que “juntos, pela FEDERASUL, nós demos voz à classe produtiva”:

 

– Através de vocês a entidade foi a última trincheira para milhares de empresas, cidadãos, pessoas que precisavam ser ouvidas em suas dores, suas perdas, nas dificuldades que foram submetidas.

 

Em seguida, o presidente da FEDERASUL, Anderson Trautman Cardoso, disse aos novos presidentes que “doar o seu tempo, o seu talento, em prol do coletiva não é uma tarefa simples. Não são poucos aqueles que, chamados a dar a sua contribuição, por muitos motivos, deixam de assumir responsabilidades para além daquelas que dizem respeito a seus negócios e à sua vida pessoal o que em muitos casos é compreensível”.

Anderson Trautman Cardoso lembrou os “grandes desafios pela frente”, especialmente num ano eleitoral. Destacou a entidades e os avanços no Rio Grande do Sul definido por ele como “um Estado mais preparado para enfrentar os desafios” lembrando que a entidade contribuiu para tornar o ambiente mais colaborativo e para o avanço em reformas importantes para o RS”.

 

Destacou as ações da FEDERASUL, na época da pandemia, como as Jornadas de Integração que identificou demandas do setor produtivo gaúcho ouvindo todas as regiões e encerrou com a importância do associativismo. “Maior do que os desafios é a nossa disposição em trabalhar conjuntamente para contribuir para o crescimento do Rio Grande do Sul”.

 

› Compartilhe

— LEIA TAMBÉM —

novidades

Receba nossas novidades. Cadastre-se gratuitamente.

Top