ACIST SL – Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo Os muitos desafios de um líder

19 de julho de 2018

ACIST SL - Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo - Os muitos desafios de um líder

Administrar uma empresa não é o mesmo que liderar. Para este último, são necessárias diversas capacidades que nem sempre são fáceis de obter e de seguir.  Conforme o consultor da Fundação Dom Cabral, Volnei Pereira Garcia,  que palestrou nesta quinta-feira (19), no Momento do Empreendedor da ACIST-SL, o  papel de um líder, atualmente, é cada vez mais amplo e desafiador. “Para começar, ele precisa ter muito claro quais são os valores, as estratégias e quem são seus concorrentes para tomar as decisões corretas”.

Ele reforça que os principais desafios do líder número 1 de qualquer empresa são definir e comunicação a direção do negócio, ser um incansável cobrador da execução das metas, zelar e divulgar a cultura da empresa e ser o patrono de uma gestão baseada em bons fundamentos, na compreensão das mudanças e na competitividade. “O bom gestor também precisa ter absoluta necessidade de focar na inovação e na criatividade visando o atendimento integral do seu cliente, e para isto precisa saber lidar com a velocidade da mudança e saber usar a conectividade na comunicação”. Identificar e adquirir conhecimentos para lidar com a complexidade das mudanças e trabalhar missionariamente na redução dos custos fazem também fazem parte do rol dos desafios.

E como fazer tudo isto, questiona Garcia. A resposta é executar ações que ele considera fundamentais, como a atração e manutenção dos talentos, inspirando, incentivando e celebrando as conquistas da equipe. “Saber lidar com a simultaneidade de estilo de gestão, de idades diferentes e gerações múltiplas e comunicar o que é urgente faz parte das ações que levam ao sucesso de um líder”, aconselha.

Traços de personalidade também são importantes para uma liderança efetiva. Tais como a Ambição para conquistar algo notável – mas não vencendo a qualquer preço, determinação e tenacidade para  buscar, persistir e realizar, mas não persistir em um plano que não está dando resultados. Ter autoconfiança para superar o medo do fracasso, da reação ou a necessidade de ser amado. “É preciso usar o poder criteriosamente e não tornar-se arrogante ou narcisista”, aconselha. Ter abertura psicológica para ser receptivo a ideias novas e diferentes e não impedir o progresso de outros profissionais. Por fim, ser realista para ver o que pode de fato ser alcançado e não esquivar-se dos problemas ou presumir o pior e ter a vontade de aprender para continuar a crescer e aprimorar seu know how e não repetir os mesmos erros.

O consultor estabeleceu alguns questionamentos que o líder pode fazer para avaliar se a sua atuação está sendo adequada:

• Você é capaz de posicionar a sua empresa mediante uma idéia central que satisfaça a necessidade dos clientes e seja lucrativa? E, diante da necessidade cada vez maior, você conseguirá reposicioná-la adequadamente?

• Você está apto a identificar mudanças externas, detectando os padrões na frente dos concorrentes e colocando sua empresa na ofensiva?

• Você sabe como conduzir o sistema social de sua empresa, fazendo com que os profissionais certos, em combinação com condutas adequadas, tomem decisões melhores e mais rápidas e alcancem bons resultados para sua empresa?

• Você sabe avaliar pessoas, descobrindo seus melhores talentos com base em fatos e observações, e encaixá-las na função adequada?

• Você forma uma equipe fazendo com que líderes altamente capacitados desinflem o ego e se entrosem à perfeição?

• Você sabe elaborar metas, equilibrando o que a empresa pode vir a ser com o que pode alcançar na prática, e não simplesmente olhando no espelho retrovisor e fazendo ajustes incrementais sobre o que já foi realizado?

• Você é capaz de estabelecer prioridades precisas, definindo tarefas específicas que alinhem recursos, ações e energia para atingir as metas?

• Você consegue lidar com forças fora do alcance do mercado, reagindo com criatividade e positivismo às pressões sociais que não controla, mas que afetam significativamente seus negócios.

Garcia finalizou apontando as oito competências que um líder precisa ter:

1. Posicionar e reposicionar: encontrar uma ideia central para os negócios que atenda às necessidades dos clientes e que seja lucrativa.

2. Identificar mudanças externas: detectar tendências em um mundo complexo, para colocar a empresa na ofensiva.

3. Comandar o sistema social: reunir as pessoas certas com comportamentos e informações corretos, para tomar decisões melhores e mais rápidas e alcançar bons resultados.

4. Avaliar pessoas: aferir pessoas com base em suas ações, decisões e comportamentos, comparando-os com os critérios inegociáveis da função.

5. Moldar equipes: conseguir que líderes altamente competentes e de ego enorme trabalhem em perfeita sintonia.

6. Estabelecer objetivos: determinar o conjunto de metas que equilibram o que a empresa pode vir a ser com o que ela pode alcançar de modo realista.

7. Estabelecer prioridades precisas: definir o caminho e alinhar recursos, ações e energia para os objetivos.

8. Enfrentar forças que transcendem o mercado: prever e reagir às pressões sociais fora do seu controle, mas que podem afetar a empresa.

 


Notícias Relacionadas


Análise Advocacia 500momento do empreendedor


Comentários